Logo BrazilLAB Logo BrazilLAB
Govtech BrazilLAB Gauchazh Cuco Health Startup São José Pitch Gov.SP Seed Setor Público Letícia Piccolotto

Governos vêm mostrando que estão dispostos a inovar

12/07/2018

Ganha a sociedade como um todo, que pode encontrar espaço para participar da melhoria de políticas públicas

Excesso de burocracia, pouca flexibilidade e processos demorados são características ainda muito presentes no setor público brasileiro. É raro pensar em inovação quando se fala em governo, mas a discussão é extremamente necessária. Afinal, é inovando que o setor tem a chance de mudar a qualidade dos serviços prestados à sociedade.

Não que não haja pequenos experimentos acontecendo com o objetivo de promover um governo mais aberto e mais digital. Mas para promover a inovação em larga escala é preciso estabelecer mecanismos para a promoção de um arcabouço jurídico mais seguro e favorável.

No mesmo sentido, governos vêm mostrando que estão dispostos a inovar. O Pitch Gov.SP (Estado de São Paulo), o Startup São José (São José dos Campos) e o Seed (Minas Gerais) são alguns exemplos de programas que conectam startups com o serviço público e incentivam o desenvolvimento de pesquisa e tecnologia em prol da sociedade.

Também com o propósito de fomentar a pauta GovTech – tecnologias a favor de soluções públicas – fundamos o BrazilLAB há dois anos. Nesse período, já aceleramos 26 startups que possuem soluções em diferentes áreas como educação, saúde, lixo, entre outras. Um exemplo que já está gerando resultados é o Cuco Health, app que funciona como uma enfermeira digital e que atualmente está implementado na rede de saúde de Juiz de Fora –MG. O aplicativo engaja pacientes a seguir à risca tratamentos para doenças crônicas. A solução ajuda a reduzir as filas em 63 UBSs da cidade, já que o agravamento de problemas e a necessidade de atendimento urgente diminuem.

O diálogo entre Poderes Executivo e Legislativo, órgãos de controle, academia, ONGs e empreendedores é fundamental para que surjam legislações e ambientes capazes de proporcionar segurança e incentivo para a inovação com escala. É essa atuação em rede que alavancará a pauta GovTech no Brasil.

Ganha a população, que passa a ter maior acesso a serviços de qualidade. Ganham os governos, vítimas de orçamentos estrangulados e poucos recursos, que encontram soluções para reduzir custos e ganhar eficiência. E a sociedade como um todo, que pode encontrar espaço para participar da melhoria de políticas públicas.

 

Por: Letícia Piccolotto Ferreira*

Fonte: Gauchazh

 

 * Letícia Piccolotto Ferreira, especialista em Gestão Pública pela Harvard Kennedy School e fundadora do BrazilLAB, ONG que conecta startups e governos para estimular a inovação no setor público

Veja Também:

Inovação no Setor Público Artigo de Letícia Piccolotto no JOTA: Govtechs e as previsões do setor para 2021

Artigo de Letícia Piccolotto no JOTA: Govtechs e as previsões do setor para 2021

Relatório mostra que há 80 startups no Brasil que são consideradas GovTechs relevantes; confira o artigo da CEO do BrazillAB

Inovação no Setor Público Observatório de Inovação no Setor Público (OPSI) da OCDE publica estudo de caso do BrazilLAB

Observatório de Inovação no Setor Público (OPSI) da OCDE publica estudo de caso do BrazilLAB

O estudo de caso do OPSI relata a trajetória e destaca as principais iniciativas do BrazilLAB

Programa de Aceleração Conheça as 58 Startups e PMEs aceleradas pelo BrazilLAB no ano de 2020

Conheça as 58 Startups e PMEs aceleradas pelo BrazilLAB no ano de 2020

Em 2020, o BrazilLAB concluiu 3 ciclos de Aceleração, 2 DemoDays e acelerou 58 Startups e Pequenas e Médias Empresas (PMEs)