Logo BrazilLAB Logo BrazilLAB
LETICIA PICCOLOTTO, INOVAçãO

"Já que não temos data certa para o fim da crise no Brasil, temos que pensar em soluções para ontem"

29/04/2016

O BrazilLAB é um centro de inovação para setor público que conecta empreendedores e líderes públicos abertos à inovação.

Leticia Piccolotto 2O BrazilLAB é um centro de inovação para setor público que conecta empreendedores e líderes públicos abertos à inovação. O programa pretende coletar ideias e propostas de projetos que têm potencial de impacto na gestão pública, melhorar e acelerar essas ideias e finalmente, aplicá-las na gestão pública.

Para saber mais sobre os motivos da criação do Brazil e como ele pretender impactar na gestão pública, fomos falar com Letícia Piccolotto Ferreira, Conselheira do Centro de Liderança Pública e coordenadora e mentora do programa Brazil Lab.

 

1. Como está sendo a repercussão do Brazil Lab desde o seu lançamento em 16/03?

Os empreendedores estão muito animados. Muitos nos procuram querendo entender melhor como o Lab pode ajudar a viabilizar seus projetos e soluções para o setor público. Embora seja difícil falar de soluções para o Brasil quando existe um pessimismo generalizado, a receptividade tem sido muito boa porque o Brazil Lab vai na contramão do pessimismo e da paralisia, buscando acelerar ideias, promovendo o diálogo entre o setor público, empreendedores, academia e sociedade. Já que não temos data certa para o fim da crise no Brasil, temos que pensar em soluções para ontem.

2. O que é o Brazil Lab? Qual o perfil dos empreendedores que vocês estão buscando?

O Brazil Lab é um programa de aceleração para jovens empreendedores que tenham uma ideia, um protótipo ou um produto voltado ao setor público. Em 2016, estamos priorizando projetos nas áreas de saúde, educação e sustentabilidade ambiental. Buscamos empreendedores com ou sem empresas constituídas, com ou sem fins lucrativos, dispostos a participar das atividades do Lab e a implementarem as suas soluções junto a Prefeituras parceiras do CLP.

3. De onde surgiram as referências para a criação do Brazil Lab?

Ano passado fomos convidados a participar do programa SOLVE do MIT, um programa que tem como objetivo convocar a sociedade para pensar em soluções para os problemas globais como a falta de água, aquecimento do planeta, entre outros. Entendemos então a força do diálogo entre setores. Também pesquisamos muito sobre os modelos de aceleração de empreendedores no Brasil e no mundo, como o  YCombinator, 500 Startups, o SEED em Minas Gerais, uma vez que os empreendedores são focados em resolver problemas. Daí, nós unimos todas as pontas e desenvolvemos o Brazil Lab - que pretende ser um hub de inovação voltado ao setor público. 

4. Como a inovação pode contribuir com os desafios do setor público?

Os governos passarão por tempos ainda mais difíceis de escassez de recursos financeiros e também em relação a capital humano. Como os governos farão, por exemplo, concursos públicos com queda de arrecadação? Como os governos responderão de forma rápida e eficaz aos anseios da população na área da saúde ou educação? É difícil. Logo, a inovação se torna peça fundamental. A inovação pode ser desde a reestruturação de um processo até o desenvolvimento de um aplicativo.  

Recentemente estudei um caso muito interessante da cidade de Providence nos EUA, vencedor do prêmio de inovação da Fundação Bloomberg. A partir de uma pesquisa acadêmica ficou comprovado que ao entrarem no jardim de infância, crianças de famílias de baixa renda ouvem 30 milhões de palavras a menos do que crianças de famílias de renda média e alta e que essa “lacuna no vocabulário” prejudica o desempenho escolar. Com a pesquisa em mãos, uma ONG junto com um grupo de empreendedores e a Prefeitura desenvolveram um aplicativo para ajudar os pais a contarem o número de palavras que a criança está sendo exposta todo dia e ajudar a estabelecerem períodos de conversação. Gosto deste exemplo, pois mostra a importância do diálogo e de parcerias entre os setores e ao mesmo tempo mostra o quanto as soluções podem vir de ideias simples.

NO BRASIL, O DIFÍCIL É QUE A ABERTURA PARA A INOVAÇÃO NO SETOR PÚBLICO AINDA DEPENDE MUITO DO APETITE INDIVIDUAL DE CADA LÍDER. O DESAFIO É TORNAR ESTA PRÁTICA SUSTENTÁVEL E PERENE. 

5. Qual o impacto esperado com o programa Brazil Lab?

Nossa meta é acelerarmos 10 empreendedores esse ano no Lab. Um deles receberá o investimento de US$ 5 mil para implementar a sua solução junto a uma Prefeitura parceira do CLP e com todo o acompanhamento da nossa equipe durante 6 meses. Mas o impacto final, de médio, longo prazos, é estabelecermos no Brasil uma cultura mais saudável e permanente de inovação, especialmente a partir da colaboração entre o setor público e o setor privado.

6. Que conselho você daria a um empreendedor que está interessado no Brazil Lab?

O ponto de partida é entender bem quais são os desafios propostos pelo Lab em 2016. Com isso no radar, os empreendedores devem ter uma mente aberta e não ter receio de enviarem ideias ou projetos. Temos uma ampla rede de mentores vindo do setor público e do setor privado. Todas as sugestões serão analisadas e trabalhadas. Importante lembrar que as inscrições no site vão até maio. Para mais informações:www.brazillab.org.br

Veja Também:

Programa de Aceleração Conheça as 9 Startups e PMEs que seguem para a Banca Pitch da Força-Tarefa Covid-19

Conheça as 9 Startups e PMEs que seguem para a Banca Pitch da Força-Tarefa Covid-19

Próxima etapa da Aceleração acontecerá na quarta-feira (23/09) e definirá as Startups e PMEs finalistas para o DemoDay

Inovação no Setor Público BrazilLAB lança “BrazilLAB Talks” para debater a agenda de governo digital no país

BrazilLAB lança “BrazilLAB Talks” para debater a agenda de governo digital no país

Iniciativa inédita organizada pelo BrazilLAB vai promover debates com a participação de especialistas nacionais e internacionais sobre a agenda de inovação e tecnologia para a gestão pública no Brasil

Inovação no Setor Público Fundadora do BrazilLAB entra na lista dos 20 principais líderes GovTech de 2020

Fundadora do BrazilLAB entra na lista dos 20 principais líderes GovTech de 2020

Letícia Piccolotto entrou na lista elaborada pelo Creators que mapeia os líderes de destaque da pauta GovTech em todo o mundo