Aumento de 84% de inscritos esse ano demonstra claramente a força da pauta empreendedorismo e Governo. - BrazilLAB
PT EN
brazillab b2g inscrições resultado Governo Equilíbrio fiscal Comunicação Agricultura Urbana

Aumento de 84% de inscritos esse ano demonstra claramente a força da pauta empreendedorismo e Governo.

20/07/2017

Confira a entrevista completa com a nossa founder, Letícia Piccolotto Ferreira, sobre os resultados da 2ª edição do BrazilLAB.

[Evento de lançamento dos challenges no Campus SP]

Equipe Lab – O processo de inscrições se encerrou na primeira semana do mês, dia 05/07. Qual foi o balanço desse ano? Quais foram os principais resultados?

LPF – Esse ano focamos muito em divulgar a importância da nossa pauta que é trabalhar inovação dentro dos municípios, conectando empreendedores com o poder público e ajudando no desenho de estratégias para Governos (o famoso B2G). Realizamos então diversos eventos de divulgação do Lab e dos challenges 2017 em diferentes Estados, como Minas Gerais, Rio de Janeiro, Distrito Federal, além de São Paulo. Foram mais de 20 eventos, mais de 15 parceiros mobilizados e um total de 1.000 pessoas impactadas. Gastamos muita sola de sapato para levar a nossa mensagem e a oportunidade do nosso programa para um número maior de empreendedores.

Essa estratégia gerou resultados concretos. Recebemos no total 252 projetos, um aumento de 84% em relação a 2016. Esse aumento demostra claramente a força da pauta empreendedorismo e Governo. Ficamos extremamente satisfeitos com os resultados.

 

Equipe Lab – Além da quantidade de projetos inscritos, quais outros resultados já foram apurados em relação ao processo desse ano?

LPF – Além do aumento no número de projetos inscritos, pudemos observar uma alteração em relação ao estágio das soluções. Em 2016 , recebemos mais de 70% dos projetos em estágio inicial, ou seja - early stage - projetos que ainda eram ideias sem MVPs ou protótipos desenvolvidos. Esse ano foi o contrário. Tivemos 78% dos inscritos já em estágio de protótipo ou com a solução rodando e apenas 22% em estágio inicial. Além disso, mantivemos uma boa representatividade, pois recebemos projetos de mais de 19 Estados brasileiros e um projeto internacional da Califórnia.

 

Equipe Lab – Como o BrazilLAB conseguiu ter esse alcance e garantir que empreendedores do Brasil todo se inscrevesse no processo de aceleração?

LPF – Eu sempre digo que o BrazilLAB não é um projeto ou não é um sonho que se sonha sozinho. Estamos falando de levar inovação e empreendedorismo para dentro do Governo. O sonho é muito grande e para fazer isso precisamos contar com muitos parceiros. O alcance que tivemos esse ano só foi possível, pois mobilizamos e contamos com toda nossa rede de parceiros, mentores e voluntários. Realizamos uma série de eventos em parceria e procuramos conectar a nossa pauta com iniciativas e estratégias semelhantes já existentes. Eu acredito muito que temos que somar esforços. É um momento muito crítico para o Brasil, mas ao mesmo tempo cheio de oportunidades. Se somarmos esforços, vamos alcançar resultados muito maiores e muito mais rápidos.

Além disso, construímos uma super campanha nas redes sociais e no nosso site que também gerou resultados. Hoje somados temos mais de 10.000 usuários em nossos canais e acessos de 300 cidades, em todos os estados brasileiros e 43 países diferentes.

 

Equipe Lab – Como foi trabalhar temas diferentes e tão específicos como os propostos esse ano pelo BrazilLAB?

LPF - No início foi um super desafio. Falar de Equilíbrio Fiscal e mobilizar as fintechs para essa pauta parecia uma loucura. A mesma coisa quando falamos de Agricultura Urbana e da importância de repensar e rediscutir os canais de Comunicação para o maior engajamento cívico. A nossa estratégia foi tentar apresentar aos empreendedores dessas áreas oportunidades reais junto aos Governos, com dados, casos concretos e muita informação. Em relação a equilíbrio fiscal, falei muito para os empreendedores que trabalham com crédito ou com a pauta de gestão da oportunidade junto ao Governo. Hoje o volume de crédito consignado para servidores de todos os entes é de aproximadamente R$ 16 bilhões. Além disso, mais de 60% dos municípios terceirizam a sua contabilidade por exemplo. Enfim, apresentamos oportunidades para que os empreendedores pudessem pensar na possibilidade de atuarem junto ao poder público. Durante o programa de aceleração é justamente esse modelo (a estratégia B2G) que eles vão desenhar conosco.

 

Equipe Lab – Quais são as novidades do programa de aceleração de 2017?

 LPF - Esse ano estamos de casa nova. Todo o programa de aceleração acontecerá no Campus São Paulo, espaço viabilizado pelo Google. Além disso, reforçamos muito a mentoria jurídica e fechamos um módulo inteiro para esse tema. Também, em parceria com a plataforma Broota, lançamos o primeiro fundo no Brasil 100% dedicado a investimentos para startups com soluções para governos – o GovTechBrasil.

Manteremos as visitas aos equipamentos públicos - o field day - mas esse ano teremos uma surpresa que só em breve poderei contar e teremos muitos mentores especialistas nos temas dos challenges ajudando os empreendedores. Esse é um outro ponto que vale a pena reforçar. Com os novos challenges ampliamos a nossa rede de mentores. Temos agora grandes especialistas em agricultura urbana, mercado financeiro e comunicação nos ajudando. Todas as atividades da nossa aceleração serão ainda mais mão na massa.

Além disso, esse ano teremos três possíveis ganhadores que terão um investimento de até R$ 50 mil reiais e o que ficar em primeiro lugar ganhará um curso de duas semanas no Vale do Silício na Draper University.

 

Equipe Lab – Quais são ainda os desafios e próximos passos?

 LPF – O desafio que estamos vivendo desde o lançamento do BrazilLAB – em março/2016 – é falar de uma agenda positiva e propositiva para o país em um momento que infelizmente estamos sendo bombardeados com tantas notícias ruins. Vejo que esse é um desafio e ao mesmo tempo uma grande oportunidade. Uma hora vamos ter que parar de falar sobre o Brasil que não funciona e pensar no Brasil que funciona e no país que de fato queremos construir para os nossos filhos e para as próximas gerações. Mais do que pensar, fazer. Fico extremamente feliz de ver quantas pessoas conseguimos mobilizar em torno da nossa pauta. Amigos, parceiros, patrocinadores. O BrazilLAB também é uma startup. Há 18 meses atrás o projeto era um desenho em um power point. Hoje já finalizamos a nossa 2ª. edição – somadas as duas edições mais de 400 empreendedores aplicaram para o BrazilLAB – e os três empreendedores que venceram a edição passada já estão testando as suas soluções em municípios: um na área de Educação, o outro na área da Saúde. Esses resultados nos motivam para continuarmos seguindo, com foco em superar os desafios.

Quanto aos próximos passos, agora estamos focados internamente no processo de seleção e até dia 11/08 divulgaremos a lista dos empreendedores que participarão da Banca de Seleção que ocorrerá dia 17/08. No final de agosto, iniciamos a aceleração. Todas as datas e atividades podem ser acompanhadas nos nossos canais, facebook, site, eventos, newsletter, entre outros. Os empreendedores que não se inscreveram ou que não foram selecionados para o programa desse ano, podem participar dos eventos abertos. Como eu disse anteriormente, esse não é um sonho que se sonha sozinho. Qualquer um pode ajudar e participar. 

 

Veja Também:

Inovação e empreendedorismo no setor público são temas de evento gratuito do BrazilLAB

Realizado pelo BrazilLAB, encontro reunirá startups, governo e academia no Google Campus

O que vem por aí? As propostas de candidatos à presidência que se apresentaram no GovTech Brasil

No encerramento da convenção, cinco presidenciáveis subiram ao palco para compartilhar suas visões sobre inovação no setor público. Confira aqui um resumo de cada um

GovTech Brasil: de acordo com especialistas, a inovação na segurança pública é “para ontem”

Especialistas reuniram-se em São Paulo para debater desafios e soluções para a área. Veja agora os destaques desse encontro