Logo BrazilLAB Logo BrazilLAB
edtechs inovacao educação empreendedora escolas empreendedorismo

BrazilLAB convoca EdTechs com soluções para fomentar o empreendedorismo de inovação nas escolas

05/08/2018

Modernizar os métodos de ensino e cultivar o empreendedorismo e a inovação desde cedo: é assim que vamos revolucionar de fato a educação no país. O BrazilLAB está em busca de soluções que fomentem o empreendedorismo de inovação nas escolas.

Apesar de o Brasil fazer bonito nas listas de países empreendedores (ficando à frente de todos os BRICS), o empreendedorismo por aqui não é voltado para a inovação. Segundo uma pesquisa divulgada pelo Sebrae, existem 48 milhões  de donos de empresas no país. Desse total, 44% entraram no mundo empresarial por necessidade e sete entre dez empresários recebem, no máximo, três salários mínimos. É o que os especialistas chamam de empreendedorismo de subsistência.

Pesquisas do Fórum Econômico Mundial mostram que sociedades que investem em ações, negócios e educação empreendedora aumentam sua competitividade e representatividade nos mercados.  Neste campo, vamos mal: o Brasil aparece em 69° posição no Índice de Inovação Global 2017, não estando nem entre os três mais inovadores da América Latina.

 


Saiba Mais #BrazilLAB

 

Construindo uma educação hoje que serve para amanhã

Uma educação empreendedora e digital significa investir no futuro sócio-econômico de um país. De acordo com o Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB), muitos países têm se adaptado neste sentido. A Austrália e o Chile, por exemplo, incorporaram empreendedorismo, tecnologia e a programação ao currículo dos alunos como uma das sete habilidades transversais. No Brasil temos bons exemplos também: o Cidade em Jogo é uma iniciativa inovadora da Fundação Brava e Woodrow Wilson Center que, através da gamificação, aborda o tema da cidadania ao mesmo tempo que desenvolve competências essenciais nos alunos.

Por isso, as startups de tecnologia voltada para educação (EdTechs) estão entre as mais relevantes da atualidade. Novas tecnologias serão fundamentais para auxiliar o Ensino Híbrido, Disciplinas Integradas, Aprendizagem por Experimentação, Conteúdo Personalizado, entre outros. Segundo a Startse, o mercado global de tecnologia aliada à educação cresce 17% ao ano, e deve alcançar US$ 252 bilhões em 2020.

 

Desafio: Preparar jovens para se tornarem empreendedores de inovação

Diante deste cenário de desafios e crescimento, o BrazilLAB está em busca de soluções que fomentem a educação empreendedora, forneçam ferramentas e despertem a vontade de empreender. Este desafio consiste das seguintes perguntas:

Como as EdTechs podem fomentar o empreendedorismo de inovação na educação e preparar os alunos para que eles tenham as competências necessárias para enfrentar os desafios do futuro?

Como a tecnologia pode ajudar os educadores a cultivar a criatividade, o protagonismo, o empreendedorismo e a confiança dos alunos na sala de aula?


Saiba Mais #BrazilLAB

 

 

 

#brazillab2018

Veja Também:

Inovação no Setor Público Cidades mais inteligentes, avanços na legislação e novo ciclo de aceleração: um balanço da inovação no setor público em 2019

Cidades mais inteligentes, avanços na legislação e novo ciclo de aceleração: um balanço da inovação no setor público em 2019

Confira os principais destaques do ano no Brasil e fora dele sobre a pauta de inovação em governos

Inovação no Setor Público Do papel ao celular: como o Zul Digital ajudou a transformar o estacionamento na cidade de São Paulo

Do papel ao celular: como o Zul Digital ajudou a transformar o estacionamento na cidade de São Paulo

CEO do aplicativo, que conta com o Selo GovTech, explica como a versão digital do antigo cartão de Zona Azul facilita a vida de cidadãos e melhora a fiscalização do trânsito na capital paulista

Programa de Aceleração Confira as 28 Startups selecionadas para o 4º Ciclo do Programa de Aceleração do BrazilLAB

Confira as 28 Startups selecionadas para o 4º Ciclo do Programa de Aceleração do BrazilLAB

Foram mais de 900 cadastros e 300 inscrições concluídas de todo o país e de fora dele. Conheça as empresas que têm potencial de transformar o setor público por meio da inovação