Inovação nas cidades: conheça a experiência de especialistas do setor privado que trabalharam lado a lado com prefeituras nos EUA - BrazilLAB
PT EN
Logo BrazilLAB
GovTech

Inovação nas cidades: conheça a experiência de especialistas do setor privado que trabalharam lado a lado com prefeituras nos EUA

27/09/2018

Organização norte-americana colocou coaches de inovação para trabalhar com equipes de 35 cidades na implantação soluções urbanas. E os resultados foram animadores

Uma iniciativa altamente inspiradora aconteceu recentemente nos Estados Unidos. Trata-se da premiação Mayors Challenge (Desafio dos Prefeitos), organizada pela Bloomberg Philantropies, que estimulou a criação de soluções inovadoras para demandas importantes dos municípios. Na etapa final, foram selecionadas 35 cidades norte-americanas -- as campeãs --, que receberam 100 mil dólares cada para trabalhar em ideias específicas para áreas como energia limpa, transporte e segurança.

Após passarem vários meses testando protótipos de seus projetos com os cidadãos, e depois de revisar os modelos de acordo com os feedbacks que recebiam, as gestões municipais submeteram suas aplicações à fase final da competição. A grande final ocorrerá em outubro, e as cidades selecionadas receberão um aporte de cinco milhões de dólares.

O modelo de design centrado no ser humano é bastante novo para Governos. Por isso, as prefeituras trabalharam lado a lado com especialistas em inovação, que exerceram o papel de coaches ao longo do processo.

A Bloomberg Cities conversou com esses especialistas no começo do trabalho, em março deste ano, e mais recentemente. E compartilhou neste artigo  (em inglês) suas impressões e opiniões a respeito. Abaixo, compartilhamos essas informações, tão relevantes para o processo de modernização do setor público:

 

O que foi que mais te surpreendeu ao trabalhar com os municípios nos últimos meses?

James Canfield, fundador da agência digital MAG7 Collective: Fiquei surpreso com a vontade que os cidadãos demonstraram de participar do processo de co-criação. Acredito que as cidades contaram com muita boa vontade dos residentes que puderam participar. Essa disposição deu, à gestão pública, a possibilidade de ter mais tempo para fazer eventuais correções após a implementação das soluções.

 

Laura Hyde Page, Líder de Projetos da consultoria em inovação Jump Associates: De minha parte, fiquei surpresa ao ver o quão profundamente os times com que trabalhei sentiram a responsabilidade e a confiança que os cidadãos depositaram neles. E agora tenho um novo entendimento do porquê é tão difícil, para eles, sair de suas zonas de conforto quando se trata de realizar testes com os residentes. Também testemunhei os times esforçando-se muito para sair dessa zona de conforto, e compartilhei o prazer que sentiram ao receberem feedbacks positivos das comunidades com que trabalhamos.

 

Ruben Ocampo, fundador da empresa de consultoria em inovação Conic Group: é incrivelmente alentador ver as pessoas sem medo de compartilhar suas ideias com o máximo de gente possível. No mundo corporativo, muitas vezes as pessoas podem ser um tanto reservadas em relação a suas ideias, com medo de que alguém a use antes. Isso é contraproducente, e causa a morte de muitas ideias boas.

No entanto, as cidades com que trabalhei estavam bem menos preocupadas em serem “donas” das ideias, e muito mais focadas em seus impactos e objetivos. Se alguém mais soubesse da ideia, isso não era visto como risco, mas como ativo. As ideias foram vastamente compartilhadas e atraíram muito engajamento, entusiasmo e apoio. Nesse quesito, creio que o setor público em geral está bem à frente do setor privado.

 

Qual é o conselho que você daria a cidades que estão tentando inovar em suas gestões?

Ryan Baum, Diretor da Jump Associates: meu conselho seria: faça testes pequenos. Você não precisa construir toda a solução piloto para que aprenda. Identifique as incertezas mais críticas e então teste formas de solucioná-las em uma escala menor.

 

Amanda Noonan, Diretora de Estratégia da Frog Desing: Não tente ser perfeito. Prefira a agilidade e o teste rápido de ideias com os cidadãos.  Quanto mais testamos, mais aprendemos. Trata-se de manter sempre o movimento adiante, no sentido de aprimorar as soluções, e manter-se aberto e vigilante àquelas pedras preciosas, os "desconhecidos" que nos ajudam a responder demandas de formas que realmente funcionam.

 

Erik Olesund, co-fundador da consultoria de inovação Collective Capital: Meu conselho é uma pergunta: o que você quer ter criado daqui a um ano? Com a resposta, faça-se outras perguntas: quem vai ser “dono” disso? Construir isso? Manter isso? Obtenha essas parcerias e coloque as capacidades no lugar certo o quanto antes possível.

 

James Canfield: assegure-se de que você tenha um entendimento claro do problema que pretende resolver. Antes de testar as hipóteses subjacentes por trás da solução proposta, teste as suposições que você tem a respeito do problema.

 

Laura Hyde Page: prepare-se para realizar testes rápidos, de baixa fidelidade com os residentes ao longo da evolução de uma ideia. Sei que é tentador esconder, das pessoas, a bagunça da cozinha enquanto uma ideia está sendo preparada, mas os cidadãos podem preferir participar disso se forem engajados na hora certa e com frequência. Isso não só garante que sua ideia traga respostas a necessidades reais, mas também suaviza o caminho para a implantação.

Confira o artigo na íntegra no perfil da Bloomberg Cities no Medium.

Veja Também:

Inovação no Setor Público BrazilLAB na CBN - Quais os caminhos para a transformação digital no Brasil?

BrazilLAB na CBN - Quais os caminhos para a transformação digital no Brasil?

Letícia Piccolotto, fundadora do BrazilLab, participou do programa Revista CBN e falou sobre o cenário atual da digitalização no Brasil

Inovação no Setor Público BrazilLAB faz parceria com Startse para a realização de evento com a pauta GovTech

BrazilLAB faz parceria com Startse para a realização de evento com a pauta GovTech

O BrazilLAB é co-realizador da GovTech Conference, evento que reunirá políticos inovadores e startups em busca de soluções criativas para tornar a gestão pública mais eficiente

Inovação no Setor Público Ações de inovação podem render prêmio de até R$ 30 mil e viagem internacional a servidores públicos

Ações de inovação podem render prêmio de até R$ 30 mil e viagem internacional a servidores públicos

Prêmio Espírito Público vai premiar profissionais com trajetórias de contribuição para o serviço público no Brasil, superação e trabalho em equipe