GovTech Brasil: de acordo com especialistas, a inovação na segurança pública é “para ontem” - BrazilLAB
PT EN
Segurança Pública GovTech Brasil Raul Jungmann Ilona Szabó Thiago Camargo Joana Monteiro

GovTech Brasil: de acordo com especialistas, a inovação na segurança pública é “para ontem”

28/08/2018

Especialistas reuniram-se em São Paulo para debater desafios e soluções para a área. Veja agora os destaques desse encontro

Entre os temas abordados no  GovTech Brasil 2018, a segurança pública ocupou um lugar de destaque. O debate sobre o tema foi realizado no segundo dia do evento, e reuniu Raul Jungmann, Ministro de Segurança Pública, Ilona Szabó, Diretora Executiva do Instituto Igarapé ,e Thiago Camargo, Secretário de Política de Informática do Ministério da Ciência e Tecnologia. A mediação ficou a cargo de Joana Monteiro, Presidente do Instituto de Segurança Pública.

Assista ao vídeo:

 

Crime caríssimo

Ilona Szabó deu início ao debate com dados alarmantes a respeito da segurança pública no Brasil: o país soma 62 mil homicídios por ano, sendo 70% deles cometidos com armas de fogo. E o custo econômico da criminalidade, de acordo com ela, está estimado em 4,38% do PIB.

A seguir, Ilona apresentou algumas iniciativas do Instituto Igarapé para enfrentar a situação. Todas têm a inovação como eixo principal: “o Crime Radar, por exemplo, que é um sistema de predição de crime semelhante à previsão do tempo, com dados precisos sobre a possível ocorrência de crimes em regiões e horários específicos”.

Outra iniciativa que mereceu destaque foi o Observatório de Prevenção da Violência, “uma plataforma que associa informações dos vários serviços de atendimento da prefeitura, como educação, assistência e saúde, para localizar indivíduos e famílias mais vulneráveis, com potencial para se tornarem vítimas ou perpretadores da violência,” relatou Ilona. Neste caso, o objetivo é auxiliar o poder público a adotar medidas preventivas.

 

Big data contra o crime

Raul Jungmann manteve o tom alarmante de Ilona Szabó. “Nós vivemos uma pré-história na segurança pública, porque o Brasil não tem política, não tem um sistema unificado de segurança,” afirmou. De acordo com o Ministro, a exemplo do que aconteceu com a “superfinflação” de algumas décadas atrás, ou enfrentamos o problema da segurança pública, ou ficará cada vez mais difícil superá-lo. “Precisamos de respostas já, e urgentes.”

Painel Saúde GovTech

Para Raul Jungmann, o primeiro passo, e mais urgente, é criar um sistema único de segurança pública, o que “é possível construir com tecnologia”. Isso daria mais transparência a um setor marcado pela “opacidade”, de acordo com ele.

Além disso, o Ministro afirma que a tecnologia deve ser utilizada na prevenção do crime. “Precisamos mudar a filosofia de prender, prender e prender, porque isso alimenta o monstro do crime organizado. A informação e os dados têm que mudar isso, gerar prevenção social para interromper o fluxo de encarcerados.”

O Secretário de Política de Informática Thiago Camargo concorda. “Quando você coloca a tecnologia só na resolução dos crimes, você deixa de ter uma política de segurança, que deve ser centrada na prevenção,” afirma ele.

Em resumo, foi consenso, entre os participantes, que a inovação deva urgentemente pautar os investimentos em segurança pública. Principalmente em relação à prevenção de crimes, uma vez que a política de encarceramento torna-se cada vez mais nociva não somente para o estado, mas para a sociedade em geral.

 ------------------

Aceleração BrazilLAB 2018

As inscrições para nosso Programa de Aceleração estão abertas! Neste ano, lançamos seis desafios: meio ambiente, gestão de pessoas, saúde, inclusão social, educação empreendedora e segurança pública e cybersecurity. Empresas interessadas em participar do programa devem realizar inscrição pelo site até o dia 8 de outubro.

 


Inscreva-se #BrazilLAB

Veja Também:

Inovação e empreendedorismo no setor público são temas de evento gratuito do BrazilLAB

Realizado pelo BrazilLAB, encontro reunirá startups, governo e academia no Google Campus

O que vem por aí? As propostas de candidatos à presidência que se apresentaram no GovTech Brasil

No encerramento da convenção, cinco presidenciáveis subiram ao palco para compartilhar suas visões sobre inovação no setor público. Confira aqui um resumo de cada um

Histórias que inspiram a transformação e a inovação em escala

Nem só de debates foi feita a primeira edição do evento no Brasil: chefes de estado, empresários e empreendedores compartilharam seus aprendizados ao inovarem no setor público