GovTech Brasil: de acordo com especialistas, a inovação na segurança pública é “para ontem” - BrazilLAB
PT EN
Logo BrazilLAB
Segurança Pública GovTech Brasil Raul Jungmann Ilona Szabó Thiago Camargo Joana Monteiro

GovTech Brasil: de acordo com especialistas, a inovação na segurança pública é “para ontem”

28/08/2018

Especialistas reuniram-se em São Paulo para debater desafios e soluções para a área. Veja agora os destaques desse encontro

Entre os temas abordados no  GovTech Brasil 2018, a segurança pública ocupou um lugar de destaque. O debate sobre o tema foi realizado no segundo dia do evento, e reuniu Raul Jungmann, Ministro de Segurança Pública, Ilona Szabó, Diretora Executiva do Instituto Igarapé ,e Thiago Camargo, Secretário de Política de Informática do Ministério da Ciência e Tecnologia. A mediação ficou a cargo de Joana Monteiro, Presidente do Instituto de Segurança Pública.

Assista ao vídeo:

 

Crime caríssimo

Ilona Szabó deu início ao debate com dados alarmantes a respeito da segurança pública no Brasil: o país soma 62 mil homicídios por ano, sendo 70% deles cometidos com armas de fogo. E o custo econômico da criminalidade, de acordo com ela, está estimado em 4,38% do PIB.

A seguir, Ilona apresentou algumas iniciativas do Instituto Igarapé para enfrentar a situação. Todas têm a inovação como eixo principal: “o Crime Radar, por exemplo, que é um sistema de predição de crime semelhante à previsão do tempo, com dados precisos sobre a possível ocorrência de crimes em regiões e horários específicos”.

Outra iniciativa que mereceu destaque foi o Observatório de Prevenção da Violência, “uma plataforma que associa informações dos vários serviços de atendimento da prefeitura, como educação, assistência e saúde, para localizar indivíduos e famílias mais vulneráveis, com potencial para se tornarem vítimas ou perpretadores da violência,” relatou Ilona. Neste caso, o objetivo é auxiliar o poder público a adotar medidas preventivas.

 

Big data contra o crime

Raul Jungmann manteve o tom alarmante de Ilona Szabó. “Nós vivemos uma pré-história na segurança pública, porque o Brasil não tem política, não tem um sistema unificado de segurança,” afirmou. De acordo com o Ministro, a exemplo do que aconteceu com a “superfinflação” de algumas décadas atrás, ou enfrentamos o problema da segurança pública, ou ficará cada vez mais difícil superá-lo. “Precisamos de respostas já, e urgentes.”

Painel Saúde GovTech

Para Raul Jungmann, o primeiro passo, e mais urgente, é criar um sistema único de segurança pública, o que “é possível construir com tecnologia”. Isso daria mais transparência a um setor marcado pela “opacidade”, de acordo com ele.

Além disso, o Ministro afirma que a tecnologia deve ser utilizada na prevenção do crime. “Precisamos mudar a filosofia de prender, prender e prender, porque isso alimenta o monstro do crime organizado. A informação e os dados têm que mudar isso, gerar prevenção social para interromper o fluxo de encarcerados.”

O Secretário de Política de Informática Thiago Camargo concorda. “Quando você coloca a tecnologia só na resolução dos crimes, você deixa de ter uma política de segurança, que deve ser centrada na prevenção,” afirma ele.

Em resumo, foi consenso, entre os participantes, que a inovação deva urgentemente pautar os investimentos em segurança pública. Principalmente em relação à prevenção de crimes, uma vez que a política de encarceramento torna-se cada vez mais nociva não somente para o estado, mas para a sociedade em geral.

 ------------------

Aceleração BrazilLAB 2018

Saiba mais sobre o nosso Programa de Aceleração! Neste ano, lançamos seis desafios: meio ambiente, gestão de pessoas, saúde, inclusão social, educação empreendedora e segurança pública e cybersecurity. Empresas interessadas em participar do programa devem realizar inscrição pelo site até o dia 8 de outubro.

 


Saiba Mais #BrazilLAB

Veja Também:

Inovação no Setor Público O Brasil precisa construir um governo 100% digital

O Brasil precisa construir um governo 100% digital

Próximos governantes precisam deixar de ser espectadores e se tornem protagonistas dessa pauta

Empreendedorismo Feminino Uso de tecnologia no próximo governo pode reduzir em quase 100% custos de serviços públicos

Uso de tecnologia no próximo governo pode reduzir em quase 100% custos de serviços públicos

Adoção de uma agenda digital para o setor público poderia também elevar o PIB em 5,7%

Inovação no Setor Público Aprendizado e experimentação em inovação: o caso das encomendas tecnológicas

Aprendizado e experimentação em inovação: o caso das encomendas tecnológicas

Será que a inovação de fato está no centro da agenda de governo de quem almeja comandar o país?