Startups se destacam ao usar blockchain para inovar na saúde - BrazilLAB
PT EN
Logo BrazilLAB
GovTech Startups HealthTec Saúde

Startups se destacam ao usar blockchain para inovar na saúde

03/12/2018

Essas empresas estão reescrevendo todas as regras atuais ao colocar as pessoas no controle de dados relacionados à sua saúde

A tecnologia de blockchain tem um potencial enorme. Pois ela oferece a possibilidade de eliminar hierarquias, de desmontar instituições e de devolver, às pessoas, o controle de seus próprios dados. Por isso, um conjunto cada vez maior de startups tem adotado a inovação para levar esses benefícios à área da saúde.

 De acordo com o que a empreendedora norte-americana Annabel Acton afirma nesta matéria do Inc., essas empresas têm permitido que pessoas, e não instituições, assumam o controle de seus dados. Com isso, as startups estão tornando os serviços de saúde mais personalizados, preditivos e acessíveis. E, uma vez que mais de 50% dos usuários de smartphones geram dados relacionados à saúde em seus dispositivos, é provável que já exista material suficiente para que essa indústria cresça exponencialmente.

Annabel Acton lista, então, algumas startups que já estão se adiantando nesse campo:

 

Bowhead Health

Essa empresa tem uma missão bem particular: tornar leve e mais saudável a relação com dados que podem ser assustadores. Isso, por meio de um aplicativo que facilita e esclarece informações relacionadas à saúde e ao bem-estar, bem como incentiva hábitos saudáveis.

O app permite que as pessoas busquem metas ambiciosas ao monitorar a saúde por meio de inputs como hábitos (consumo de água e períodos de sono e de sedentarismo)  e níveis de atividade. É possível monitorar o progresso, receber recompensas por ações e obter acesso a descontos em produtos e serviços de saúde.

Por que é interessante?
A interface do aplicativo faz com que atingir objetivos torne-se divertido e nada intimidante. Além disso, o aplicativo usa criaturinhas simpáticas (e sem gênero sexual definido) para que a conversação com os usuários seja não só agradável, mas inclusiva também.

 

Sweatcoin

Trata-se de um app que conta nossos movimentos na base de passos e, em troca, oferece a moeda própria da solução -- os Sweatcoins (ou moedas de suor). Ou seja, criptomoedas como os Bitcoins, mas especificamente criadas para estimular hábitos saudáveis. As Sweatcoins podem, então, ser trocadas por itens como Fitbits, acessórios fitness e aulas em academias.

O aplicativo não se sincroniza com outros dispositivos de monitoramento, mas integra-se com contadores de passos de smartphones e em GPS. Além disso, só contabiliza os passos dados fora de ambientes fechados.

 

Por que é interessante?
As Sweatcoins focam em atividades outdoor para solucionar a eventualidade de uso indevido do aplicativo. No entanto, a ideia de ir para fora e se conectar com o mundo exterior é um ótimo benefício incidental.

 

wHealth

Similarmente a outras soluções, o app wHealth também permite que usuários apropriem-se de seus dados relacionados à saúde e de que tirem benefício de seu valor. Isso ocorre por meio do opt-in que fazem na solução; então, caso permitam, as informações são enviadas para instituições de saúde que passam por um rigoroso processo de aprovação, e os usuários são premiados de acordo com os inputs.

Além disso, os usuários podem receber moedas WLTHO ao atingir marcas como 15 mil passos dados, participar de uma nova pesquisa médica, dormir adequadamente etc. Numa dinâmica semelhante às Sweatcoins, as moedas conquistadas podem ser gastas em serviços e produtos de saúde embutidos no app.

Por que é interessante?
wHealth enfrenta a onerosa e desafiadora tarefa de monetizar dados. A característica de opt-in facilita que usuários aprendam a usar moedas sem ter que gerenciar ativamente seus dados, ou mesmo fazer corretagem deles com terceiros. Além disso, a tecnologia subjacente é facilmente integrada a outros apps que podem tanto usar as moedas WLTH para oferecer recompensas ou para habilitar a monetização para seus próprios usuários.

Veja Também:

Cidades Inteligentes Londres, Copenhague e Cingapura. O que faz dessas e mais outras sete cidades as mais inteligentes do mundo?

Londres, Copenhague e Cingapura. O que faz dessas e mais outras sete cidades as mais inteligentes do mundo?

Estudo do IESE Cities in Motion Index 2019 se utilizou de 9 categorias para ranquear os níveis de desenvolvimento de cidades ao redor do globo.

‘Cidade em Jogo’: Conheça o game educacional brasileiro finalista em competição da OCDE

‘Cidade em Jogo’: Conheça o game educacional brasileiro finalista em competição da OCDE

Iniciativa “Cidade em Jogo”, da Fundação BRAVA, é uma das seis finalistas da Chamada de Cases Inovadores de Governo Aberto da organização internacional.

Cidades Inteligentes ‘CopiCola’: conheça o programa da Prefeitura de SP que disponibiliza guias de boas práticas para inovação no setor público

‘CopiCola’: conheça o programa da Prefeitura de SP que disponibiliza guias de boas práticas para inovação no setor público

A iniciativa da prefeitura disponibiliza os guias para implementação de programas inovadores por ela realizados, a fim de que outras cidades sigam seu exemplo