BrazilLAB busca soluções para o desenvolvimento da agricultura urbana nos municípios brasileiros - BrazilLAB
PT EN
hub aceleradora BrazilLab empreendedores network conexão cidades cidadão agricultura urbana agroeconomia agro-economia tecnologia solução inovador pop

BrazilLAB busca soluções para o desenvolvimento da agricultura urbana nos municípios brasileiros

16/04/2017

O BrazilLAB é o único hub de inovação que acelera ideias e conecta empreendedores com o poder público. Na edição de 2017, o programa lança desafio na área de agricultura urbana para empreendedores que desejam impactar a sociedade.

Entre os desafios enfrentados pelos municípios brasileiros na atualidade, aqueles relativos à produção e distribuição de alimentos merecem atenção. Diversos fatores agravam o cenário, como o crescimento populacional urbano, o alto custo de abastecimento de alimentos nas áreas urbanas, o consumo de frutas e legumes abaixo dos níveis recomendados e a falta de canais que conectam agricultores urbanos com a sociedade.

A situação torna-se ainda mais crítica diante do contexto atual de mudanças climáticas. De acordo com o documentário francês “Demain”, as alterações ambientais vêm ocorrendo com rapidez inédita. Nos últimos 60 anos, a população mundial triplicou, o que elevou a demanda por alimentos, ao mesmo tempo em que grande parte da biodiversidade vem sendo destruída.

Com relação ao Brasil, os dados apresentam um cenário de fato preocupante:

  • 84% dos brasileiros vivem em áreas urbanas (Censo 20101);
  • Somente 37,3% das pessoas de 18 anos ou mais de idade consomem cinco porções diárias (valores recomendados pela OMS) de frutas e hortaliças (Dados IBGE 20132);
  • 22% da população enfrentam algum estágio de insegurança alimentar (Instituto Akatu3);
  • 80% do total de desperdício de alimentos no país ocorrem no manuseio, no transporte e nas centrais de abastecimento (IPEA 20094).

 

Agricultura urbana: um caminho possível

Os desafios são imensos, é fato; mas a a agricultura urbana -- como são conhecidos o cultivo de plantas e a criação de animais dentro e ao redor das cidades -- vem sendo apontada como uma solução possível. Pois a prática permite fornecer alimentos frescos, garantir a segurança nutricional, criar empregos, gerar riqueza e cultivar cinturões verdes, o que atenua os efeitos das alterações climáticas nas cidades.

Agências e instituições internacionais, como UNICEF e IDRC (por meio do projeto “Food for the Cities”), vêm enfatizando a importância da agricultura urbana. E a cidade de São Paulo provou-se pioneira no assunto: com a proposta de conectar agricultores dos arredores da cidade (que enfrentam dificuldades) aos dinâmicos mercados e restaurantes paulistanos (que necessitam de produtos orgânicos), SP venceu o Grande Prêmio do Mayors Challenge em 2016 da Bloomberg Philanthropies7.

Fundamental para a economia

A agricultura urbana também exerce papel central na recuperação de municípios que enfrentaram colapso econômico. São os casos de Detroit e Michigan, nos EUA: nelas, a produção local de alimentos permitiu não apenas que as pessoas sobrevivessem a graves crises, mas que também vivessem melhor.

Demain” detalha o exemplo de Detroit, que conta com 1.600 fazendas e hortas orgânicas para promover independência alimentar da cidade. Lá, a maior parte das frutas e legumes consumidas é cultivada nos limites do município -- pelos cidadãos locais, para os cidadãos locais. Essas fazendas e hortas já alimentam 50% da população.

Outro caso é o do movimento das Cidades em Transição, ou Transition Towns8. Criada pelo inglês Rob Hopkins, a iniciativa tem o objetivo de transformar as cidades em modelos sustentáveis, menos dependentes do petróleo, mais integrados à natureza e mais resistentes a crises externas, tanto econômicas como ecológicas.

Hoje, o Transition Towns está presente em 14 países do mundo. Já são mais de 321 Iniciativas Oficiais de Transição (em cidades, bairros e até ilhas) e 227 iniciativas em formação.

Desafio: preparar o Brasil de hoje para o mundo de amanhã

Em 2050, nosso planeta será um lugar diferente. É muito provável que não tenhamos o mesmo acesso a petróleo, energia, água e terra arável de que dispomos hoje. E, mantendo-se o ritmo de crescimento populacional, chegaremos à marca de 9 bilhões de pessoas -- sendo que 70% viverão em centros urbanos.

Assim, ainda de acordo com o documentário "Demain", será necessário produzir alimentos em locais mais próximos de onde as pessoas moram e vivem. Vem daí, novamente, a relevância da agricultura urbana.

E foi em consideração a todo este cenário que o BrazilLAB (www.brazillab.org.br) elaborou o desafio abaixo para os empreendedores de alto impacto. Com objetivo final de promover soluções para o fomento da agricultura urbana nos municípios brasileiros, este desafio é composto pelas seguintes questões:

Como a tecnologia pode fomentar a agricultura urbana, diminuindo o custo dos alimentos, gerando empregos e melhorando a nutrição da população urbana?

Como soluções inovadoras podem conectar agricultores urbanos e cidadãos?

Sobre o BrazilLAB

O BrazilLAB é a única aceleradora que conecta empreendedores ao setor público. Sendo assim, nosso programa de mentoria tem como principal objetivo adaptar e validar as soluções selecionadas para que atendam às demandas de gestores públicos e resolvam os problemas enfrentados pelos municípios brasileiros.

A inspiração para o programa de aceleração do BrazilLAB veio de iniciativas internacionais, como o Solve/MIT e o Mayors Challenge/Bloomberg Philanthropies. Esses programas estimulam a inovação, o intercâmbio e o diálogo entre acadêmicos, setor privado, empresários e setor público, visando à promoção de um espaço eficiente que permita o envolvimento da sociedade na busca de soluções.

Nosso programa conta com quatro ciclos de atividades presenciais. Em cada um deles, os empreendedores recebem mentoria especializada, obtêm acesso a networking e a líderes públicos, adquirem conhecimento sobre os desafios municipais, encontram oportunidade de participar de rodadas com investidores e divulgam suas soluções por meio de cases e exposição na mídia.

No entanto, o programa não se restringe apenas aos quatro meses de atividades presenciais. Nossa rede de parceiros, mentores e equipe acompanha os empreendedores ao longo de toda a sua jornada. Esse acompanhamento ocorre por meio de nosso programa Alumini, que tem como objetivo auxiliar os empreendedores a alcançarem o impacto que desejam na sociedade.

Patrocínio

O BrazilLAB é um programa patrocinado pelo Bank of America Merrill Lynch, E.Bricks e Instituto Betty e Jacob Lafer.

Entre seus parceiros, o BrazilLAB tem a honra de contar com instituições como CLP, Fundação Brava, Comunitas Endeavor, Start-Up Chile e Microsoft.

Fontes

1 - http://censo2010.ibge.gov.br/

2 - http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/pns/2013/

3 - www.akatu.org.br

4- http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=1256:catid=28&Itemid=23

5 - https://www.demain-lefilm.com/en/film e/ou Netflix

6 - http://www.fao.org/home/en/

7 - https://www.bloomberg.com.br/blog/cidade-de-sao-paulo-foi-vencedora-grande-premio-mayors-challenge-da-america-latina-e-caribe-de-2016-da-bloomberg-philanthropies/

8 - http://transitionnetwork.org/

Veja Também:

Inovação e empreendedorismo no setor público são temas de evento gratuito do BrazilLAB

Realizado pelo BrazilLAB, encontro reunirá startups, governo e academia no Google Campus

O que vem por aí? As propostas de candidatos à presidência que se apresentaram no GovTech Brasil

No encerramento da convenção, cinco presidenciáveis subiram ao palco para compartilhar suas visões sobre inovação no setor público. Confira aqui um resumo de cada um

GovTech Brasil: de acordo com especialistas, a inovação na segurança pública é “para ontem”

Especialistas reuniram-se em São Paulo para debater desafios e soluções para a área. Veja agora os destaques desse encontro