Logo BrazilLAB Logo BrazilLAB
GovTech Ranking de Competitividade Fórum Econômico Mundial

Para maior competitividade, um país mais digital

01/11/2018

Brasil cai no ranking mundial como ambiente propício para os negócios – mas a eficiência GovTech poderia mudar esse quadro

Em agosto de 2018, o BrazilLAB organizava o primeiro evento sobre o tema governos digitais no Brasil. No mundo, a questão GovTech já é um conceito em alta (e capaz de movimentar US$ 400 bilhões segundo consultorias especializadas). Mas aqui, como mostrou o “GovTech Brasil”, ainda existe muito trabalho a fazer para que também seja implementada uma agenda digital. E trata-se de uma evolução bastante necessária, já que, no mais recente Ranking Global de Competitividade do Fórum Econômico Mundial, o Brasil caiu três posições na avaliação sobre competitividade.

Entre 140 países, amargamos agora um 72º lugar. Em relação ao ambiente de negócios, estamos em 108º posto – e, observando a facilidade para abrir um negócio, ficamos em um absurdo 137º.

Décimo maior mercado entre os avaliados, o Brasil se destacou pela solidez de seu sistema financeiro, mas, em capacidade inovadora, não impressionou: ainda não nos comparamos com nações mais dinâmicas, apesar de estarmos na metade superior do ranking (40º lugar).

 

Governos digitais contam a favor

Com a metodologia adotada este ano pelo Fórum Econômico Mundial, os Estados Unidos são o país mais competitivo do mundo, com 85,6 pontos – destacando-se principalmente em dinamismo empresarial, sistema financeiro e mercado de trabalho. Em seguida vêm Cingapura (83,5 pontos), Alemanha (82,8), Suíça (82,6), Japão (82,5), Holanda (82,4), Hong Kong (82,3), Reino Unido (82), Suécia (81,7) e Dinamarca (80,6). O Brasil marcou 59,5 pontos.

O índice de competitividade é formado por 98 variáveis agrupadas em 12 pilares e quatro fatores de competitividade (ambiente institucional, capital humano, mercados e ecossistema de inovação).

Segundo o Fórum, ganharam maior peso na avaliação deste ano os negócios que estão impulsionando a competitividade, a diversidade na força de trabalho e o estabelecimento de um governo digital.

 


Baixe o relatório completo aqui

 

Veja Também:

Inovação no Setor Público BrazilLAB fecha parceria com a ABES  para estimular inovação no setor público

BrazilLAB fecha parceria com a ABES para estimular inovação no setor público

Startups da rede do BrazilLAB terão acesso gratuito, por um período de seis meses, aos serviços e experiência da ABES nas áreas jurídica, regulatória, tributária e mercadológica

Inovação no Setor Público BrazilLAB ganha destaque na Folha de S. Paulo: pandemia favorece aproximação entre startups e gestores públicos

BrazilLAB ganha destaque na Folha de S. Paulo: pandemia favorece aproximação entre startups e gestores públicos

A CEO e Fundadora do BrazilLAB, Letícia Piccolotto, apontou os avanços da transformação digital em governos no combate à pandemia

Programa de Aceleração Em parceria com o BrazilLAB, a BayBrazil busca acelerar startups com atuação em Educação, Saúde e Diversidade

Em parceria com o BrazilLAB, a BayBrazil busca acelerar startups com atuação em Educação, Saúde e Diversidade

O BayBrazil Programa de Impacto 2021 vai conectar startups com um time excepcional de mentores do Vale do Silício e Brasil