Logo BrazilLAB Logo BrazilLAB
GovTech Ranking de Competitividade Fórum Econômico Mundial

Para maior competitividade, um país mais digital

01/11/2018

Brasil cai no ranking mundial como ambiente propício para os negócios – mas a eficiência GovTech poderia mudar esse quadro

Em agosto de 2018, o BrazilLAB organizava o primeiro evento sobre o tema governos digitais no Brasil. No mundo, a questão GovTech já é um conceito em alta (e capaz de movimentar US$ 400 bilhões segundo consultorias especializadas). Mas aqui, como mostrou o “GovTech Brasil”, ainda existe muito trabalho a fazer para que também seja implementada uma agenda digital. E trata-se de uma evolução bastante necessária, já que, no mais recente Ranking Global de Competitividade do Fórum Econômico Mundial, o Brasil caiu três posições na avaliação sobre competitividade.

Entre 140 países, amargamos agora um 72º lugar. Em relação ao ambiente de negócios, estamos em 108º posto – e, observando a facilidade para abrir um negócio, ficamos em um absurdo 137º.

Décimo maior mercado entre os avaliados, o Brasil se destacou pela solidez de seu sistema financeiro, mas, em capacidade inovadora, não impressionou: ainda não nos comparamos com nações mais dinâmicas, apesar de estarmos na metade superior do ranking (40º lugar).

 

Governos digitais contam a favor

Com a metodologia adotada este ano pelo Fórum Econômico Mundial, os Estados Unidos são o país mais competitivo do mundo, com 85,6 pontos – destacando-se principalmente em dinamismo empresarial, sistema financeiro e mercado de trabalho. Em seguida vêm Cingapura (83,5 pontos), Alemanha (82,8), Suíça (82,6), Japão (82,5), Holanda (82,4), Hong Kong (82,3), Reino Unido (82), Suécia (81,7) e Dinamarca (80,6). O Brasil marcou 59,5 pontos.

O índice de competitividade é formado por 98 variáveis agrupadas em 12 pilares e quatro fatores de competitividade (ambiente institucional, capital humano, mercados e ecossistema de inovação).

Segundo o Fórum, ganharam maior peso na avaliação deste ano os negócios que estão impulsionando a competitividade, a diversidade na força de trabalho e o estabelecimento de um governo digital.

 


Baixe o relatório completo aqui

 

Veja Também:

Inovação no Setor Público Artigo no Estadão: GovTechs no Brasil têm terreno fértil e promissor

Artigo no Estadão: GovTechs no Brasil têm terreno fértil e promissor

Guilherme Dominguez e Carlos Santiso (PhD) escreveram um artigo no Estadão sobre os avanços na inovação do setor público

Inovação no Setor Público Aceleradas do BrazilLAB dominam categoria de GovTechs do Ranking TOP 100 Open Startups

Aceleradas do BrazilLAB dominam categoria de GovTechs do Ranking TOP 100 Open Startups

Das 10 Startups premiadas na categoria GovTech, 7 são da Rede do BrazilLAB; No Ranking das 100 Startups, 8 já passaram pela nossa Aceleração

Inovação no Setor Público BrazilLAB participa de Semana Internacional de Inovação da ENAP com vitrine de startups GovTech

BrazilLAB participa de Semana Internacional de Inovação da ENAP com vitrine de startups GovTech

Maior evento de inovação da América Latina é liderado pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) e deverá reunir mais de 150 palestrantes nacionais e internacionais