Logo BrazilLAB Logo BrazilLAB
Programa de Aceleração BrazilLAB Startups Selecionadas B2G Inovação no Setor Público GovTech

Aceleração 2018: conheça as startups selecionadas para o challenge de Inclusão Social

11/12/2018

Entre as soluções, estão uma plataforma de recrutamento profissional para pessoas com deficiência e um aplicativo de gestão para síndicos de conjuntos habitacionais

Entra ano, sai ano, e a inclusão social continua sendo um dos principais desafios do país. Um exemplo: apesar de o último Censo apontar que quase 24% da população brasileira é formada por pessoas com deficiência, essas ocupavam apenas 0,77% dos empregos formais no país em 2014, segundo o Ministério do Trabalho.


--> Baixe a lista completa das Starups Selecionadas <--

Tendo esse cenário em vista, que é corroborado por tantas outras disparidades no nosso país, o programa de aceleração de 2018 do BrazilLAB buscou projetos que auxiliem na promoção de oportunidades iguais, a fim de combater o preconceito e a exclusão social com base em classe, idade, necessidades especiais, sexo, gênero, raça e outras. Conheça agora quais foram as empresas selecionadas para o challenge de Inclusão Social.
 

Inclusão Social:

Egalitê: empresa especializada na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Para isso, foi desenvolvida uma plataforma de recrutamento online, de avaliação de perfil comportamental e de educação totalmente adaptada para as pessoas com deficiência.

GESUAS: plataforma para gestão integrada do prontuário do sistema único de assistência social (SUAS). É a primeira versão digital completa deste relatório, com o qual é possível fazer o registro de todas as informações de atendimentos às famílias, gerando informações em tempo real e de forma territorializada.

SmartSíndico: aplicativo que fornece aos síndicos de condomínios de Habitação de Interesses Social (CDHU, Cohab, Cingapura, Minha Casa Minha Vida e outros) todas as ferramentas necessárias para a correta administração condominial, de forma simples, barata, prática e eficiente.

Surdo para surdo: é uma plataforma de educação bilíngue em Libras (Língua Brasileira de Sinais) e Português, com tecnologias para o apoio do aprendizado e aulas particulares online com tutores surdos.

 

Selecionamos as 33 Startups… E o que acontece agora?

Os empreendedores dessas startups terão meses de atividades intensas pela frente. De dezembro a março do ano que vem, eles vão receber mentoria e apoio de especialistas para desenvolver e validar seus modelos de negócio. Além disso, irão entrar em contato com gestores públicos, investidores e startups que já atuam em GovTech.

E em março de 2019 acontecerá o DemoDay, com algumas das startups que se destacaram durante o programa. O evento será aberto para a comunidade, e nele serão anunciadas as vencedoras, que receberão um contrato de investimento que pode variar de R$ 50 mil a R$ 200 mil, além de apoio do BrazilLAB para a implementação de um piloto de 180 dias gratuitos em governos parceiros.


--> Baixe a lista completa das Starups Selecionadas <--

Veja Também:

Inovação no Setor Público Govtechs, para além dos governos - artigo de Lucas Prado, Co-founder da Meritocracity

Govtechs, para além dos governos - artigo de Lucas Prado, Co-founder da Meritocracity

Como as GovTechs podem aprimorar seus modelos de negócios para garantir maior sustentabilidade, independência e escalabilidade, buscando novos clientes e estratégias de monetização híbridas.

Programa de Aceleração Foi dada a largada: confira destaques do 1º módulo presencial da quarta turma da Aceleração do BrazilLAB

Foi dada a largada: confira destaques do 1º módulo presencial da quarta turma da Aceleração do BrazilLAB

Representantes das 26 startups selecionadas reuniram-se em São Paulo para trocar experiências e para uma imersão em UX

Inovação no Setor Público Inovação GovTech: conheça os cases de destaques de Barcelona, Zâmbia e Cingapura

Inovação GovTech: conheça os cases de destaques de Barcelona, Zâmbia e Cingapura

Todos os meses selecionaremos os exemplos mais inspiradores da recém-criada biblioteca de cases do BrazilLAB