Logo BrazilLAB Logo BrazilLAB
startup inovacao tecnologia business inscricoes networking hub lancamento participacao comunicacao equilíbrio fiscal agricultura urbana cidadão governo

BrazilLAB abre inscrições para startups e debate inovação no setor público

12/05/2017

Empreendedores de todo o país podem se inscrever até 5 de julho; soluções devem ser relacionadas a equilíbrio fiscal, agricultura urbana e comunicação

Nesta quarta-feira (10), no Campus São Paulo, foi lançada a segunda edição do BrazilLAB. Trata-se de um hub de inovação que acelera ideias e conecta empreendedores com o poder público. As inscrições para o programa vão até 5 de julho pelo site. O programa é aberto para empreendedores de startups que ofereçam soluções aos desafios dos municípios brasileiros. Nesta edição, os projetos inscritos devem ser relacionados a uma das três áreas: equilíbrio fiscal, agricultura urbana e comunicação.

Apesar de o Brasil figurar entre os países mais empreendedores do mundo, a fundadora do BrazilLAB, Letícia Piccolotto, destaca que não existia antes nenhuma iniciativa a fim estimular o diálogo entre empreendedores e governos. “Procuramos quem queira gerar impacto na sociedade, pessoas idealistas e que queiram fazer a diferença. Esse é o perfil.”, explicou Letícia.

O evento de lançamento contou com participação de Filipe Sabará, Secretário de Assistência e Desenvolvimento Social na Prefeitura de São Paulo, Luiz Felipe d’Avila, diretor-presidente do Centro de Liderança Pública, e Denise Yagui, Diretora Executiva da Fundação BRAVA. Os palestrantes abordaram o tema “Empreendedorismo e Governo: como essa parceria pode transformar o nosso país?”. 

Luiz Felipe d’Avila falou sobre a estrutura hierarquizada e burocratizada que ainda existe no governo e, muitas vezes, com resistência às novas ideias. Defendeu a maior aproximação do setor com a sociedade, o que pode abrir espaço para a inovação. Denise Yagui destacou o potencial que a área pública oferece. “O governo é o grande investidor. Quando pensamos em mudanças em grande escala, impossível não pensar no governo”. Já o secretário Sabará comentou o interesse da atual gestão a frente da prefeitura de São Paulo pelos projetos de inovação e as oportunidades que existem.

 

 O programa

O BrazilLAB selecionará 10 startups para participarem do laboratório. Serão quatro ciclos de atividades presenciais que vão de agosto a dezembro, incluindo mentoria especializada, workshops, networking, visitas em campo e participação em rodada com investidores. Ao final do programa, os três finalistas receberão o investimento de R$ 50.000. Além disso, eles terão todo o apoio na aproximação com a poder público para a implantação dos seus projetos nas prefeituras.

 Na última edição, foram mais de 600 projetos inscritos, sendo 11 selecionados para participarem de laboratório. As startups finalistas já estão em negociação com prefeituras como Santo Antônio do Pinhal, Botucatu, Belo Horizonte e Salvador para colocarem em prática as ideias de inovação.

 

Challenges

Neste ano, empreendedores devem apresentar soluções para três áreas diferentes: agricultura urbana, equilíbrio fiscal e comunicação.

Equilíbrio fiscal: o Brasil vem enfrentando um período de recessão. Os impactos espalharam-se pelo país, e os municípios foram pegos em cheio. O desafio proposto é o de promover soluções que auxiliem na redução de despesas dos municípios e incentivem o papel fiscalizador do cidadão sobre as contas das prefeituras.

Agricultura urbana: mantendo-se o ritmo de crescimento populacional, em 2050, o mundo terá 9 bilhões de pessoas - sendo que 70% viverão em centros urbanos. Será necessário produzir alimentos em locais mais próximos de onde as pessoas moram e vivem. Como a tecnologia pode fomentar esta prática? Como soluções inovadoras podem conectar agricultores urbanos e cidadãos?

Comunicação: No ranking de e-participation da ONU, que mede a interação entre o poder público e os cidadãos, o Brasil ocupa a 37ª posição. No desafio de comunicação, as startups devem propor soluções que orientem prefeitos e o setor público na utilização de canais digitais e mídias.

 

Sobre o BrazilLAB

É um programa do CLP (Centro de Liderança Pública), patrocinado pelo Bank of America Merrill Lynch, E.Bricks e Instituto Betty e Jacob Lafer. Entre os parceiros, conta com instituições como Fundação Brava, Comunitas, Endeavor, Start-Up Chile e Microsoft.

A inspiração para o programa de aceleração do BrazilLAB veio de iniciativas internacionais, como o Solve/MIT e o Mayors Challenge/Bloomberg Philanthropies. Esses programas estimulam a inovação, o intercâmbio e o diálogo entre acadêmicos, setor privado, empresários e setor público, visando à promoção de um espaço eficiente que permita o envolvimento da sociedade na busca de soluções. 

O objetivo é estimular no Brasil uma cultura voltada para inovação na área pública. A iniciativa dá apoio a empreendedores engajados em soluções para os desafios mais complexos vividos pela sociedade atualmente.

Veja Também:

Inovação no Setor Público Cidades mais inteligentes, avanços na legislação e novo ciclo de aceleração: um balanço da inovação no setor público em 2019

Cidades mais inteligentes, avanços na legislação e novo ciclo de aceleração: um balanço da inovação no setor público em 2019

Confira os principais destaques do ano no Brasil e fora dele sobre a pauta de inovação em governos

Inovação no Setor Público Do papel ao celular: como o Zul Digital ajudou a transformar o estacionamento na cidade de São Paulo

Do papel ao celular: como o Zul Digital ajudou a transformar o estacionamento na cidade de São Paulo

CEO do aplicativo, que conta com o Selo GovTech, explica como a versão digital do antigo cartão de Zona Azul facilita a vida de cidadãos e melhora a fiscalização do trânsito na capital paulista

Programa de Aceleração Confira as 28 Startups selecionadas para o 4º Ciclo do Programa de Aceleração do BrazilLAB

Confira as 28 Startups selecionadas para o 4º Ciclo do Programa de Aceleração do BrazilLAB

Foram mais de 900 cadastros e 300 inscrições concluídas de todo o país e de fora dele. Conheça as empresas que têm potencial de transformar o setor público por meio da inovação